Arquivo do mês: julho 2010

Berlin

Berlin

Quando as pessoas me perguntam qual cidade eu gostei mais, eu sempre respondo “Tirando Berlin?”. Sim, a cidade é incrível. Histórica, moderna, humana, grande, bonita. É tudo. Não é atoa que se escuta Francês, Italiano, Espanhol e Português pelas ruas. É gente de tudo que é lugar querendo conhecer um dos lugares mais históricos do mundo.

Tudo começa na minha viagem numa manhã, quando desço do trem na Hauptbahnof, que já é totalmente diferente das que eu tinha presenciado. Parecendo mais um shopping que uma estação de trens, tem “só” 4 andares de trens, fora os de escritórios.

Esquina do Wombat's

Fiquei no Albergue “Wombat’s”, que mais tarde ouvi dizer que seria o melhor albergue “custo-benefício” da cidade. E é verdade, nada a reclamar do albergue. Ótimo atendimento, boa localização e bons quartos. Sem contar o Bar no terraço que passou o jogo do Bayern contra o Man Untd.

A cidade é incrível. Passei quase uma semana lá e não consegui ver tudo. Talvez porque no meio da semana eu já estava em “ritmo de férias”, acordando entre 10 e 12h da manhã e só passeando. Tive oportunidade de ver duas “atrações” da região metropolitana também, Potsdam, que é a “cidade dos reis” e o campo de concentração de Sachenhausen. Dois Passeios que valem a pena.

Potsdam é linda, e o parque com os palácios é incrível. Vale a pena ir na primavera e pegar os jardins floridos.

Potsdam

Palácio Sanssouci, o símbolo da cidade

Já o campo de concentração é muito interessante. Foi um dos poucos lugares que valeu a pena visitar sozinho e a falta de guia não prejudica em nada. O lugar passa uma sensação engraçada: Enquanto tu sabes o que aconteceu nele, e as construções provam isso, tu vês um grande “parque” gramado, com passarinhos e pessoas caminhando ao redor tranquilamente.

As torres de Sachsenhausen

Na cidade, vale a pena fazer o Free-Tour, além de passar por lugares interessantes ele da boas dicas. Eu fiz em um dos primeiros dias e depois segui por mim mesmo. Visitei o Reichstag, a Gedächtniskirche (Igreja quebrada), o museu nacional, o museu da DDR, o pergamoun museu e outros parques.

Neue Wache: Pelas vítimas da guerra e opressão

É fácil se perder em Berlin. Logo que eu cheguei saí e fui dar uma volta apé, como sempre fazia no primeiro dia. Caminhei em direção Unter den linden (Rua mais famosa da cidade) e quando eu pensei que tinha chegado nela, era a rua do lado. É incrível, são muitas construções históricas e bonitas. Uma cidade indescritível. Para terminar meu 1º passeio, fui até o Brandenburger Tor e voltei cansadíssimo.

Começo do Free-Tour na frente do Brandenburger Tor

O que fazer em Berlin

Como eu disse, o Free-Tour, além de Potsdam e Sachenhausen, é recomendadíssimo. Ele passa em inúmeros lugares e da ótimas dicas, mas vou listar alguns lugares aqui que eu fui.

Pub-Crawl

Vai chegar no final de semana? No meio da semana? Não interessa, o Pub-Crawl de Berlin é imperdível. Eu fiz no Sábado e foi sem precedentes. Vale muito a pena fazer. Fui com dois caras do meu quarto, um panamenho e um carioca, dois caras sensacionais!

Checkpoint Charlie

O Free-Tour passa por ele, mas vale a pena ir com mais calma. É um ponto muito turístico de Berlin, com muita gente e muita bugiganga pra comprar.

Flohmarkt

Flohmarkt é um “mercado de Pulgas” em alemão. Em Berlin, existe um, muito interessante. Como estava meio mal de grana, não comprei nada, mas tem muita coisa legal.

Fersehturn

A torre da Alexanderplatz é muito bonita. Vale a pena dar uma passada. Infelizmente eu não subi nela, mas sei que é possível e que tem um restaurante no topo.

Stiftung Denkmal für die ermordeten Juden EuropasEndereço:

Nome complexo e feio, mas é o memorial aos Judeus que fica quase ao lado do portão de Bradenburgo. Muito interessante e o Free-Tour também passar por lá, mas não passa em baixo do memorial, que existe um museu. Eu não fui, porque só me lembrei disso no final da minha estadia.

Mais fotos de Berlin aqui.

Espero que tenham gostado

abraços

1 comentário

Arquivado em Alemanha, Cidades, Dicas, Relato

Brasil 2014

Não consigo pensar em título melhor pra este post que esse. Com o fim da copa na África do sul e suas vuvuzelas, os olhares se viram em direção ao Brasil, querendo informações sobre como anda o próximo palco da copa.

Logo Oficial da Copa de 2014

Logo Oficial da Copa de 2014

É difícil imaginar que a copa vai ser aqui, que eu vou estar a 45 km dos jogos da copa e etc. Mas o pior de tudo que é difícil de acreditar porque eu estive lá na Alemanha e sei o legado que a copa deixou. Então, neste post, vou tentar passar a maior quantidade de informações possíveis sobre os estádios e a infraestrutura que os contorna.

Pra começar, provavelmente a minha visão vai contemplar o que eu conheço de SP e POA e confrontar o que eu vi na Alemanha.

Final da tarde no Beira-Rio

O primeiro item não é o mais importante: Os estádios.

Minha visita ao Museu do Futebol

Pra mim o item mais importante é o acesso ao estádio. É a parte mais estressante, é aonde realmente acontecem os problemas. Depois disso, sentar a bunda no concreto e olhar o jogo é lucro.

Claro que temos as coisas básicas: Cobertura e uma boa visão de jogo, e aí estamos devendo muito. Dos estádios que eu fui, os mais impressionantes foram o do Hannover 96 e o Allianz arena. Grandes, redondos e muito bonitos.

Hannover 96

Dos jogos que eu fui, Borussia Dortmund 1 x 1 Hoffenheim e Hertha Berlin 0 x 1 Schalke 04, o estádio que mais me impressionou foi o Olímpico de Berlin. O estádio em si não é nada de mais, mas o entorno e sua fachada são realmente lindos. O Signal Iduna (Dortmund) é muito bonito também, mas sua fachada é complexa (tive que dar a volta no estádio pra achar minha entrada) e sua estrutura é toda metálica, dando uma aparência meio “Frank Stein”.

Vale também o registro do estádio de Frankfurt (do Eintracht Frankfurt), que é simples, funcional e muito bonito. Mostra que não precisa fazer algo gigantesco ou super tecnológico para ficar bom.

Estádio do Eintracht Frankfurt

Commerzbank Arena é simples: Quando chove uma “lona” cobre todo o estádio, deixando todos secos e confortáveis. O estádio é relativamente grande, tem vários camarotes e suítes, além de restaurante, loja e museu, usando o máximo do estádio.

Tirada as diferenças do exterior, no interior do estádio são todos iguais: muito confortáveis e com uma boa visão de campo. Não é de se estranhar que a Alemanha tenha o campeonato nacional com maior média de torcida.

Segundo item: O Transporte.

Chegando ao estádio do Hamburg SV, me assustei. Desci na estação do estádio e caminhei quase 1,5 km para chegar até ele. Uma anomalia, já que em todas as outras cidades o trajeto sempre foi pequeno e muito bem sinalizado.

Metrô de berlin

Todas as cidades tinham metrô e todas as estações com estádios da copa tinham um “símbolo” que ficava super fácil de reconhecer (Na verdade em todas as placas da cidade que direcionavam ao estádio tinham este símbolo).

Em São Paulo, sei que quando se vai ao Pacaembu o e o Palestra, se pode descer em uma estação perto. Já o Morumbi (que seria o estádio da copa) não tem nem isso. Se em SP já é assim, não podemos esperar muito de Porto Alegre. Pelo que sei o metrô passa longe do Beira – Rio e não há previsões de obra para ele.

Sinalização e Facilidades de Acesso

Na Alemanha, tudo é muito sinalizado, não seria diferente nos estádios. Ainda, nos dois jogos que fui, existiam muito “ajudantes”, devidamente sinalizados (com casacos laranja) que te orientavam e ajudavam no fluxo das pessoas, isso que já tinham se passado 4 anos da copa.

Guias em Berlin

Guias devidamente sinalizados ajudam turistas

Todos os estádios tinham uma grande área para caminhar, diferente do Pacaembu (que só tem a praça da frente pra caminhar) e maior que a do Beira Rio, que até é bem boa, mas merece mais cuidados e a proibição de transito de carros.

Allianz Arena

Allianz Arena: Uma excelente área no entorno do estádio

Acredito que o Brasil tem muitas pontas para a copa de 2014. Coisas simples devem ser feitas, para tratar o turista bem e devem continuar após o evento para que os estádios do Brasil sejam realmente lucrativos e não elefantes brancos.

Para Finalizar o post, algumas fotos dos jogos, mais no meu Picasa.

1 comentário

Arquivado em Internet