Arquivo da categoria: Transporte

Férias na Cidade Maravilhosa e Cabo Frio

Olá Pessoal,

Como sempre, meu tempo tem sido curto para o blog. Na verdade ele tem sido curto para quase tudo.

Hoje quero relatar nossas (minhas e da minha Namorada) férias no estado Fluminense. Passei 10 dias lá, sendo 3 na capital e outros 7 em Cabo Frio.

Compramos nossas passagens de novo pela Webjet. Fizemos uma confusão com os aeroportos, já que nos últimos dias estaríamos em Cabo Frio e poderíamos optar por qualquer um dos dois aeroportos da região, mas acabamos indo e voltando pelo Galeão, que apresentou taxas melhores. Uma dica pra quem vai para a região dos Lagos (Cabo Frio, Arraial do Cabo, Búzios e etc) na alta temporada e não quer passar pela capital é a Azul que faz voos durante do verão direto para Cabo Frio!

Com as passagens compradas, começamos a olhar os albergues/hosteis e hotéis da zona sul da capital. Queríamos passar lá entre 2 e 5 dias. Minha prima, que mora em Cabo Frio, nos sugeriu os seguintes albergues: Terrasse Hostel, Stone of the beach, Bonita em Copa/Ipanema e Books Hostel e o Aplauso Hostel na Lapa.

Acabamos optando pelo Bonita, depois de alguma pesquisa na Internet. Não nos arrependemos, o quarto era simples, o pessoal era legal e a localização era perfeita. O Albergue é em Ipanema, 3 ou 4 quadras do mar. Muito boa a localização, com restaurantes bem perto.

Bar em frente a piscina do Bonita Hostel

Chegamos no Rio dia  as 10h da manhã. Pegamos uma Táxi no aeroporto e fomos direto ao albergue em Ipanema. Nosso táxi deu em torno de 60 reais. Chegando lá, deixamos nossas malas no albergue e fomos dar uma volta atrás de um almoço (estávamos famintos!). Depois do almoço, voltamos ao albergue e fizemos nosso Check-In.

Resolvemos que deveríamos fazer os passeios mais concorridos nos primeiros dias, pois seria quinta-feira e sexta-feira. Pensamos que no sábado atrações como o Cristo Redentor e Pão de Açúcar estariam mais que lotadas. Então, saímos no nosso primeiro passeio rumo a segunda opção, deixando o Cristo para sexta de manhã.

Fomos e voltamos de ônibus. O passeio foi ótimo, a vista é linda. Os bondinhos são muito legais. Uma pena que nossa câmera ficou sem bateria bem no meio do passeio… Não deixem de ir lá, a “passagem” do bondinho é em torno de R$ 50 reais.

Os ônibus no RJ são ótimos (comparados com os daqui!). Rápidos (Até demais), inteiros e com ar condicionado. Aqui pago R$ 2,50 para um serviço péssimo, enquanto lá no Rio pagávamos R$ 2,75/2,85 por um serviço bem melhor.

Voltando ao albergue e fomos pela primeira vez a beira-mar tomar um banho, coisa que depois seria um hábito. Todos os dias voltamos pelas 17h para pegar uma praia e um lindo pôr do sol em Ipanema.

No segundo dia, pegamos um café no albergue e seguimos para o Cristo Redentor. Pegamos um ônibus de novo, tudo certo. O Motora até avisa com um “grito” amigável aonde tem que descer para ir ao Cristo.

Chegamos lá e descobrimos que o trem que leva ao cristo já estava com as vendas esgotadas até as 14h (eram 10 da matina!). Ainda, descobrimos que não tem como subir a pé (Não sei porque eu pensava que tinha como). Tivemos que pagar (R$ 25) para umas “vans” (a “nossa” era um carro Zafira) que ficam na soleira do morro e levam até a entrada do “parque”. Um serviço muito ruim, que com certeza deixa os turistas assustados. Na volta tivemos que encarar uma baita fila! Conosco foram dois turistas, um Israelense e outro Australiano. Tivemos que traduzir e explicar a eles o que estava acontecendo, porque eles tinham que pagar aquele dinheiro e que ainda teríamos que pegar outra van e pagar a entrada no parque.

Chegamos na “entrada” do parque: Uma “rua” completamente desastrosa, que não condiz com a grandesa do passeio. Fomos a bilheteria pagar novamente, agora R$ 27 reais e depois nos encaminhamos a fila, que era grande, mas andava rápido. Nosso amigo Australiano perdeu o ingresso do parque e teve que voltar a bilheteria e depois entrar de novo na fila.

Nosso amigo “avishai”, direto de Israel

Depois de mais uma van e alguns dois ou três lances de escada, chegamos ao Cristo. Já quase lotado, mas ainda sim lindo. Valeu a pena o esforço.

Nos dias seguintes, fizemos passeios mais “lights”: fomos ao Forte de Copacabana (muito legal), ao Shopping do Leblon (Bonito), visitamos o centro do Rio, algumas praças e pegamos muita praia.

Uma dica, jantamos no restaurante da Devassa lá em Ipanema. Ótima comida e ambiente. Foi o lugar mais caro que fomos no Rio, R$ 130 para dois. Nos outros dias, comemos subway e coisas do gênero.

No Domingo, pegamos um taxi para a rodoviária (cerca de R$ 40) para irmos a Cabo Frio, aonde minha prima vive.

O ônibus até Cabo Frio custa em torno de R$ 40 reais (viação 1001) e é bem tranquilo. Saímos as 18h e chegamos perto das 21h (Na volta, o mesmo trajeto deu 2 horas!).

Nós já conhecíamos a região (Búzios, Arraial do Cabo e Cabo Frio), mas foi muito bom ficar por lá.

Uma dica é a pousada Acuario, ficamos lá em 2010. Ótima e muito bem localizada. Arraial do cabo é lindo, vale muito a pena conhecer!

Pegamos praia quase todos os dias. Fizemos o passeio de Barco em Arraial (Recomendadíssimo), fomos ao centro comercial de Búzios e também ao centro de Cabo Frio… Tudo muito legal! Deixo algumas fotos pra incentivar a visita.

Espero que tenham gostado.

2 Comentários

Arquivado em Brasil, Cidades, Custos, Relato, Transporte

Eurail

Este tópico foi feito com base no meu entendimento e com informações deste tópico do Mochileiros.com. (Acho imprescindível a leitura dele se necessitares de mais informações.)

Semana passada eu recebi, incrivelmente no mesmo dia, minha “Carteirinha de Alberguista Internacional” e meu Eurail. Por hoje eu vou escrever sobre o EuRail, amanhã falo dos albergues.

O EuRail veio cheio de coisas (me cobraram 7 Euros pela encomenda, demorou uns 9 dias). Além do passe veio junto o mapa ferroviário, um manual e uma tabela de horários dos principais trens Europeus.

O que é o Eurail

Um passe de trem que é só para estrangeiros e só pode ser comprado no país de origem, sendo impossível comprá-lo na Europa. Ele funciona por um certo período de tempo em um certo local (Para ver o passe que fecha melhor com o seu destino, acesse: http://www.eurail.com).

Por exemplo, o meu passe:

Período: 8 dias dentre dois meses.
Local: Alemanha e Dinamarca.

Oito dias dentro de dois meses? Como assim?
Calma, é o seguinte: Na primeira viagem de trem o passe deve ser validado. Ou o agente de viagens ou o cara do guichê de bilhetes deve preencher a primeira e última data do passe. Exemplo: se eu andar de trem pela primeira vez dia 14/04, o cara do guichê vai preencher as duas datas, First Day: 14/04 e Last Day: 09/06.

Não é necessário preencher todo o calendário de viagem de uma vez só, Basta registrar cada dia de viagem apenas quando usar o passe. Também, Não pode errar a data e querer arrumar, vai ser considerado fraude. Tem que ser certinho ou perde um dia de viagem.

Não existe regra nenhuma?
É, não é só pular no trem e sair andando. Dependendo do trem é necessário fazer reserva.

Existem 3 tipos de trem:
• Trens sem reservas: trens locais e regionais geralmente não exigem reservas;
• Trens com reservas opcionais: você pode fazer uma reserva se deseja garantir um assento, mas não é necessário;
• Trens com reserva obrigatória: Reservas são exigidas para muitos trens de alta velocidade como o Thalys e para os trens noturnos;

Quando você compra um passe de trem, você fica dispensando de comprar a passagem (ticket), porem em certos trens europeus, como os de alta velocidade, internacionais ou noturnos, é obrigatório fazer reserva. Para saber os trens em que é necessário fazer as reservas consulte a tabela de horários da Eurail. Eles sempre vêm indicados com um símbolo “R” na frente do horário do trem.

O número de assentos disponíveis para usuários dos passes de trem pode ser limitado, por isso a reserva deve ser feita com antecedência, principalmente na alta estação, feriados e horários de rush. As reservas podem ser feitas até 90 dias antes da viagem. É aconselhado fazer as reservas ainda no Brasil, porem também é possível fazer as reservas nas estações de trem. Caso queira fazer as reservas na Europa, faça no dia que chegar à cidade para evitar que não consiga a reserva para o dia e horário desejado.

A Economia:

O meu passe é “Youth”, que é destinado a jovens até 26 anos. Só é possível andar de 2ª classe com ele. Paguei exatos 227 Euros por 8 dias de viagens, que da uma média de 28 Euros por viagem. Para se ter uma idéia, uma viagem de Frankfurt até Hannover da entre 40 e 80 Euros e eu vou fazer no mínimo 6 viagens parecidas com essa.

Abraços

4 Comentários

Arquivado em Alemanha, Custos, Dicas, Pré-viagem, Transporte